-

{ Resenha } Escrito nas Estrelas

Escrito nas estrelasLido em: Janeiro 2015
Título: Escrito nas estrelas
Autor: Sidney Sheldon
Gênero: Romance
Páginas: 366
Ano: 1992
Editora: Record
Comprar: Saraiva
Nota: 

Foi numa cidadezinha do Canadá, trabalhando na pensão do pai, que a bela Lara Cameron iniciou uma trajetória de sucesso como empresária do ramo imobiliário. Foi lá também que adquiriu toda a sua ambição e perdeu a ingenuidade. Agora, dividida entre a proteção de um amigo, a paixão de um advogado e o magnetismo de um músico, ela caminha numa trilha perigosa: o jogo de mentiras e fraudes do mundo dos negócios. Os personagens fascinantes e a trama vigorosa de 'Escrito nas Estrelas' mostram que Sidney Sheldon tornou-se o escritor mais lida da atualidade.

É um prazer resenhar hoje um livro do aclamado autor Sidney Sheldon, uma personalidade poderosa no mundo literário e cinematográfico. Foi o primeiro livro que li dele, e posso afirmar que entendi o motivo de seu sucesso. Em uma palavra, ele foi ESPETACULAR nesta obra.

Lara Cameron é a mocinha da história. Mas de mocinha ela não tem nada. O tempo todo, à medida que ia conhecendo Lara, eu pensava: "Sidney foi mesmo espetacular, ele pegou o caráter de uma mocinha e o distorceu, até que ele se tornasse humano". A história conta toda a trajetória de Lara, desde sua infância difícil ao lado do pai que a desprezava e sempre fora um fracassado na vida, até o seu mais alto ponto de sucesso, e por fim, à sua descida à realidade. Posso dizer que foi um esquema perfeito.

Lara tinha muitos motivos para desistir da vida, pois desde o início, passou por dificuldades. A pensão de McAllister, da qual o pai tomava conta e era o cobrador, foi sua maior distração e fonte de estranhas alegrias por muito tempo. Esta pensão situava-se em Glace Bay, e lá foi onde Lara deu o pontapé inicial para o seu sucesso, mas de forma bastante peculiar, pois ela mal tinha instrução (além de algumas conversas com um amigo que fizera há muito na pensão, que lhe ensinou toda a base de que ela precisava para os negócios imobiliários). Porém, não foi fácil dar este pontapé, o que nos faz sentir uma piedade enorme pela personagem.

O tempo foi passando, Lara saiu de Glace Bay, e aos poucos foi conquistando seu espaço. Então ela começou a mostrar que amadurecera, e não era mais aquela garotinha facilmente manipulável, a quem o pai desprezava. Parecia que o tempo todo, o que ela mais queria ao conquistar tudo aquilo, era provar ao pai que era capaz de fazer mais do que ele fez, mais do que ele imaginou que ela fosse capaz. Lara acostumou-se a conseguir tudo o que queria. Ela era Lara Cameron, A Poderosa, nada poderia passar por cima dela, nada poderia derrubá-la - e olhe que ela passou por várias complicações, o que fez com que eu pensasse o tempo todo: "Que sorte que tem esta mulher!". Era inacreditável.

Em alguns momentos, ela era uma total cretina (como quando agrediu fisicamente e despediu um funcionário que construía um de seus enormes prédios só porque ele deixou cair uma chave de fenda perto dela), mas em outros, era perfeitamente amigável, solidária, e podíamos ver seu lado mais sublime (como quando ela ofereceu tratamento médico à sua secretária quando descobriu que ela tinha um tumor, e pagou todas as despesas). Muitas coisas acontecem ao longo da história, mas tudo gira em torno de Lara — apesar de a narrativa fazer algumas "pausas" para voltar no tempo e contar a história de vida de alguns personagens que convivem com ela e passaram a fazer parte de seus planos.

Terminei o livro sem saber definir com precisão o que senti por Lara Cameron. Em alguns momentos, senti-me em seu lugar, senti seu sofrimento, além de uma vontade de proteger essa personagem. Em outros, eu desejei que ela morresse no final. Sim, morresse, na maior cara de pau. E no final, fiquei confusa, com esses dois sentimentos entrando em conflito. Ainda não sei dizer se me decidi. Talvez um dia encontre a resposta.

Outros personagens foram essenciais para a criação da protagonista. Howard Keller, particularmente, foi um dos que mexeram comigo, porque eu torcia para que ele ficasse com Lara, ele era seu melhor amigo superprotetor e completamente apaixonado por ela. Era o que chamamos de "FriendZone". Consegui amá-lo do início ao fim, mesmo ele tendo errado algumas vezes pelo seu amor platônico. Já Paul Martin er ao advogado mafioso, com quem não se podia brincar. Ele já estava entrando na terceira idade, tinha uma bela família... mas Lara o tentou tanto, que ele acabou deixando-se seduzir, e alimentando uma paixão doentia por ela. Phillip Adler era o príncipe encantado com o qual Lara sonhava desde a adolescência, e finalmente o encontrou. Porém, mesmo assim, as coisas com ele não saem como planejado.

Uma história realmente fascinante. Talvez alguns leitores não se interessassem muito, e se perdessem no meio do enredo, por ele envolver muitas informações sobre imóveis (tive até a sensação de que conseguiria fazer sucesso com esse negócio só com as informações que aprendi no livro!), que a mim pareceu bem interessante, apesar de ser uma área pela qual não me interesso muito, então só posso concluir que o autor soube articular muito bem essa façanha.

Mesmo assim, recomendo totalmente. Sheldon mostrou que é um ótimo escritor e que o sucesso que teve - e ainda tem - não foi em vão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou do post? Então comente e me faça feliz...
Encontrou algum erro de ortografia ou qualquer outra pérola? Mande-nos um e-mail avisando!
Obrigada pela visita!! Volte SEMPRE!!!!!
Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...