-

Resenha - Cidade do fogo Celestial

Lido em: Junho de 2014
Título: Cidade do fogo Celestial
Autor: Cassandra Clare
Gênero: Ficção, Romance, Fantasia
Editora: Galera
Páginas: 532
Ano: 2014
Comprar: Saraiva, Cultura, Submarino
Nota:  Skoob

ERCHOMAI, Sebastian disse. Estou chegando. Escuridão retorna ao mundo dos Caçadores de Sombras. Enquanto seu povo se estilhaça, Clary, Jace, Simon e seus amigos devem se unir para lutar com o pior Nephilim que eles já encararam: o próprio irmão de Clary. Ninguém no mundo pode detê-lo — deve a jornada deles para outro mundo ser a resposta? Vidas serão perdidas, amor será sacrificado, e o mundo mudará no sexto e último capítulo da saga Os Instrumentos Mortais.

Óh meu Deus, nem sei por onde começar. Estava morrendo de medo que esse final fosse a lá Verônica Roth, juro, pois havia muitas especulações sobre possíveis mortes e aquela frase, vocês bem devem saber qual estou falando:  "Quem irá sobreviver?" Essa pequena frase me tirou o sono e me deixou extremamente ansiosa e receosa de ler o final da série. Mas Cassie fez um final épico, maravilhoso e perfeito. Não consigo imaginar nada que pudesse ter deixado o livro melhor, nada mesmo...

"Livremente servimos, porque livremente amamos, conforme nosso arbítrio de amar ou não, assim nos erguemos ou caímos."

Começamos o livro com muita ação pois o nosso lindo e querido vilão Sebastian está atacando os institutos e colocando o terror em todo mundo, e sabem por quê? Porque ele pode, horas. Depois de alguns acontecimentos do livro anterior ele fica praticamente invencível e passa o livro inteiro se gabando disso, tadinho, nem sabe o que lhe espera nas últimas páginas... Jace por sua vez está com o fogo celestial correndo em suas veias e está mais irresistível, sexy e cheio de graça do que nunca. Como sempre ele tenta resolver tudo sozinho e é claro que os amigos não deixam e assim eles embarcam em uma viagem pelo mundo dos demônios, onde Sebastian está.

O mundo tão bem organizado dos caçadores de sombras está ruindo e Sebastian não vai medir esforços para despedaça-lo, ele deixa bem claro que levará junto qualquer um que ajude os caçadores de sombras, ou seja, os vampiros, lobisomens e até mesmo os bruxos, qualquer um, a menos que Clari escolha ficar com ele. Eu consigo ver uma fragilidade em Sebastian que me faz gostar dele. Tudo o que ele precisava era ser amado e isso foi tirado dele. Ele não teve chance de ser alguém bom, ele foi deixado para trás pela pessoa que deveria, independente do que aconteceu, o amar e eu não consigo perdoar Jocelyn por isso. Ela foi uma mãe terrível e não importa o que ela tenha dito lá no final, ela não conseguiu se redimir, eu não consegui perdoar ela e acho que ela poderia ter sofrido um pouco mais. Bom, pelo menos ela terá que conviver com a culpa da escolha que fez e isso já é um começo.
Se existirem outros mundos, então talvez haja algum onde fui um bom irmão e um bom filho.
Eu sei, eu sei, a resenha não é sobre Sebastian, mas eu não posso deixar de falar que meu coração foi despedaçado com o final dele. Eu não sabia o que esperar, mas não achei que ia me afeiçoar tanto ao vilão da história como aconteceu. Cassi fez um final magnifico que me deixou desorientada e com aquele sentimento de perda, desolação, mas isso tudo misturado com curiosidade, pois ela ela trouxe os personagens de The Infernal Devices e como ainda não tinha lido a série isso me consolou um pouco, pois tinha mais um pedaço da história dos caçadores para acompanhar. Eu li os dois primeiros livros antes de fazer essa resenha porque não consegui sentar e resenhar Cidade do Fogo Celestial, era muita emoção e eu não sabia como colocar isso em palavras, porém decidi fazer a resenha antes de ler Princesa Mecânica pois ele promete ser outro final maravilho e quero aproveitá-lo sem pressa.  Também somos apresentados a Emma Castairs e já podemos palpitar sobre quais serão os conflitos e dilemas abordados em Artifícios das Trevas. Foi muito bom ver as pontas soltas sendo amarradas e é incrível como Cassie conseguiu puxar o passado para a série, com Jem e Tessa e sua história linda e ao mesmo tempo introduzir Emma e a promessa de mais livros emocionantes. 
“- Clary, disse Jocelyn - Quero que você conheça Tessa Gray”
Temos muita ação e algumas mortes no livro, mas não posso deixar de falar dos romances. Clary e Jace já sabíamos que se enroscariam em algum lugar assim que possível, mas Alec e Magnus? Eu não tinha ideia do que aconteceria com eles e ainda que o futuro dos dois seja incerto, foi lindo vê-los juntos. Mas o que foi aquilo com Simon? Chorei livros e fiquei desolada. Cassie sua bandida, eu pensei que não podia ficar mais emocionante, mas aí ela vem e pisa mais um pouco no meu já castigado coração, porém depois as coisas foram se resolvendo e acho que foi mais um acerto da autora, sem contar que vamos ter alguns contos, chamados provisoriamente de The Shadowhunter Academy onde vamos ver o que acontecerá com Simon. 


Tem uma frase que Cassandra fala em uma entrevista para o site americano TMI Source que, na minha opinião,  resume bastante as decisões dela: "Quando você escreve um livro sobre uma grande batalha entre o bem e o mal, essas coisas têm que acontecer, a história realmente tem que funcionar — se o bem vence o mal, isso precisa ser feito pagando um preço. Precisa haver um tipo de preço para todo mundo."  E eu acho que os acontecimentos e as despedidas foram perfeitas, conseguimos entender o porquê de certas coisas acontecerem e aceitá-las porque elas fazem todo o sentido. Que graça haveria se tudo fosse dado de mão beijada? Nenhuma, pelo menos não pra mim, que gosto de um bom drama.  E para finalizar, eu juro que vou acabar a resenha, temos todo o drama que é a vida solitária de Jace, seus sentimentos conturbados e a busca por quem ele realmente é, um Morgenstern, Lightwood, Wayland ou um Herondale? A sua paixão e determinação me conquistaram e eu torci por ele desde o primeiro livro! 

“- Eu sei - disse Alec. - Eu não estou com inveja. Eu sempre soube, desde o começo, que todos pensavam que você era melhor do que eu. Meu pai pensou. A Clave pensou. Isabelle e Max viam você como um grande guerreiro à se espelhar. Mas o dia em que você me pediu para ser seu parabatai, eu sabia o que significava. Que você confiava em mim o suficiente para me pedir para ajudá-lo. Você estava me dizendo que não era este guerreiro solitário e auto-suficiente, capaz de fazer tudo sozinho. Você precisava de mim. Então, eu percebi que havia uma pessoa que não assumiu que Jace Wayland era melhor que eu. Você. - Jace baixou os olhos.”
Cassandra pode não ter agradado a todos, mas me deixou exultante com o final de Os Instrumentos Mortais. Falem o que quiserem, mas foi fantástico, especial e não espero ver um final assim, repleto de emoções aterradoras, tão cedo.  Para alegria de quem ama a série, ela vai sim, continuar a ser gravada, ainda que não tenhamos datas específicas. Espero mesmo que todos os livros sejam adaptados, quero muito ver Sebastian nas telonas, mas acima de tudo, quero me emocionar novamente com essa fantástica história! Se você ainda não leu os livros, por favor leia, você não sabe o que está perdendo!! 

Ave Atque Vale, The Mortal Instruments

— Heróis salvam mundos — disse Clary. — Não os destroem.
— E eu estou lhe oferecendo esta chance — argumentou Sebastian. — Quando subir ao trono, você salvará o mundo. Salvará seus amigos. Terá poder ilimitado. Estou lhe dando um presente incrível, porque te amo. Você pode abraçar a própria escuridão e ao mesmo tempo sempre repetir a si que fez a coisa certa. Isso não é tudo que você deseja?
"Existem cem milhões de células no corpo humano. E cada uma das minhas células te ama. Nossas células morrem, e novas células nascem, e minhas células novas te amam mais que as antigas, e por isso te amo casa dia mais. É ciência. E quando morrer e cremarem meu corpo, e eu virar cinzas que se misturam ao ar, parte da terra, das árvores e das estrelas, todos que respirarem esse ar ou enxergarem as flores que crescerem do chão ou olharem para as estrelas vão se lembrar de você e amar você, porque esse é o quanto eu te amo"
"— Armas, quando quebram e são remendadas, podem ficar mais fortes nos locais remendados. — disse Jace. — Talvez aconteça a mesma coisa coisa com o coração."
"— Clary nasceu especial. Simon se tornou especial. Adaptou-se. Porque o mundo não dividido estre especiais e comuns. Todos têm potencial para serem extraordinários. Contanto que você tenha uma alma e livre-arbítrio, pode ser qualquer coisa, fazer qualquer coisa, escolher qualquer coisa."
"— Somos todos parte do que nos lembramos. Guardamos em nós as esperanças e os medos daqueles que nos amam, Contanto que exista amor e lembrança, não existirá perda de fato."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou do post? Então comente e me faça feliz...
Encontrou algum erro de ortografia ou qualquer outra pérola? Mande-nos um e-mail avisando!
Obrigada pela visita!! Volte SEMPRE!!!!!
Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...