-

Resenha - Cinder - Marissa Meyer

Lido em: Abril de 2014
Título:Cinder
Autor: Marissa Meyer
Gênero: YA, Distopia
Editora: Planeta
Páginas: 448
Ano: 2013
Comprar: Livraria Cultura, Submarino
Nota: Skoob
Num mundo dividido entre humanos e ciborgues, Cinder é uma cidadã de segunda classe. Com um passado misterioso, esta princesa criada como gata borralheira vive humilhada pela sua madrasta e é considerada culpada pela doença de sua meia-irmã. Mas quando seu caminho se cruza com o do charmoso príncipe Kai, ela acaba se vendo no meio de uma batalha intergaláctica, e de um romance proibido, neste misto de conto de fadas com ficção distópica.
Com dezesseis anos, Cinder é discriminada e considerada pela sociedade como um erro tecnológico, para a madrasta não é nada mais que um um fardo. Isso apenas por ser diferente, uma cyborg, porém essa condição também tem algumas vantagens: as suas ligações cerebrais conferem-lhe uma excelente capacidade para reparar aparelhos e até mesmo outros cyborgs com defeitos, essas habilidades fazem dela a melhor especialista em mecânica de Nova Pequim. É esta reputação que leva o príncipe Kai a abordá-la na oficina onde trabalha, para que ela arrume um cyborg que ele tem certo apego. Após esse encontro com o príncipe sua vida começa a mudar, não que seja intervenção direta dele, mas acontecimentos trágicos fazem com que a madrasta de Cinder lhe ofereça como voluntária para testes de cura para a doença que está assolando a terra. Cinder então é levada contra sua vontade, pois nenhum cyborg já voltou vivo destes tais testes, mas ela acaba se surpreendendo mais com o que descobre sobre si mesma do que com qualquer outra coisa.
- Sua espécie ao menos sabe o que é amor? Você pode sentir qualquer coisa ou é só… programada? (…)
- É claro que sei o que é amor.
Mais uma vez me apaixonei por uma releitura de um dos meus contos de fadas mais adorados. É tão bom ver uma história que marcou a minha infância ser recontada de maneira tão criativa e envolvente. Não sabia bem o que esperava do livro, pois não tinha lido nenhuma resenha dele, nem pesquisado nada a respeito, entrei as cegas na leitura e foi, nada menos, do que maravilhoso. Cinder conta a história de uma garota que não é mais completamente humana e que convive com o preconceito diariamente, não só da sociedade, mais da suporta família à qual ela pertence, Cinder é considerada um bem material da família, sendo empregada das irmãs e da madrasta, além de fonte de renda, pois é a única que trabalha na casa. Eu gostei muito da maneira que ela se porta em relação aos fatos, pois Cinder não senta e fica reclamando de como a vida é difícil, de como a madrasta é ruim para ela. Nada disso. Ela trabalha duro, porém gosta do que faz e é uma referência nisso. Pessoas de todos os lados vão procurá-la para que ela as ajude com os problemas de seus Cyborgs.

Quando vamos virando as páginas do livro começamos a perceber que há algo mais em Cinder. Algo que ninguém sabe e, somado ao fato dela ser Cyborg, nos deixa com aquela pulga atrás da orelha. Muita coisa sobre Cinder é um mistério, já que ela não se lembra da vida antes do acidente que a trouxe para a família que a adotou e assim como também não faz ideia de como virou Cyborg. As partes que não são humanas em Cinder são que realmente chamam atenção nela, pois no decorrer do livro ela faz menção de como a tecnologia funciona no seu corpo e isso é bem interessante. Cinder é uma personagem forte e as vezes muito teimosa, porém é determinada e convicta das suas opiniões e como a narrativa é em primeira pessoa, isso ajuda bastante, pois não temos aquele excesso de drama juvenil, não que não tenha um pouco, mas nada que nos faça querer pular essas partes. Quanto ao príncipe Kai,  eu achei ele um pouco imaturo e mimado. O fato dele ter nascido com todo o luxo, riqueza e a promessa de um dia ser rei não fazem dele nada de especial e demorei um pouco para me simpatizar com ele. Acabei a leitura ainda não gostando dele, mas um pouco menos crítica, já que ele mostrou-se divertido e inteligente em alguns momentos.

Acredito que a história podia ter sido mais aprofundada no "antes" da Quarta Guerra Mundial. O tema ficou um pouco vago, pois não sabemos o que levou as nações à guerra, nem como as divisões das nações foram feitas. Também não temos muito informações no que se diz respeito à criação Luna e ao povo Lunar, não sabemos como os terráqueos chegaram a Lua e muito menos como fazem para sobreviver lá, ou ainda, como ou onde, ao longo da existência os lunares e cyborgs apareceram. Fora isso, volto a dizer que é uma ótima história, bastante envolvente e graciosa com uma vilã a mais, pois além da madrasta de Cinder temos a cruel Rainha Lunar e seu desejo obscuro de casar-se com o príncipe e dominar a terra.

Se você gosta de livros leves, contados com humor e bastante criatividade, vai gostar de Cinder. Marissa fez um ótimo trabalho, de um modo geral. Com personagens marcantes, uma história bem diferente, apesar de ser baseada em um clássico bastante conhecido, e recheado de surpresas posso, dizer que valeu meu tempo de leitura. Estou curiosa pela continuação pois quero muito saber o que irá acontecer com Cinder após as intrigantes revelações das últimas páginas.

Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Eu estou muito muito curiosa para ler esse livro. Eu adoor releituras, então Cinder sendo uma releitura de Cinderela, me deixou ainda ocm mais vontade de ler. Gostei muito da sua resenha, até porque foi apenas na sua resenha que eu percebi o que são realmente os cyborgs (eu pensava que eram robots, e não humanos modificados). Espero ter a oportunidade de ler em breve. A capa cá em Portugal é diferente embora bonita atmbém, mas eu prefiro essa daí.
    Beijo
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir

Gostou do post? Então comente e me faça feliz...
Encontrou algum erro de ortografia ou qualquer outra pérola? Mande-nos um e-mail avisando!
Obrigada pela visita!! Volte SEMPRE!!!!!
Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...