-

Resenha - Liberta-me - Tahereh Mafi

Lido em: Março de 2014
Resenhista: Natana Duarte
Título: Liberta-me
Autor: Tahereh Mafi
Gênero: Ficção, YA, Distopia
Editora: Novo Conceito
Páginas: 448
Ano: 2013 
Comprar:  Saraiva
Nota:
Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida. Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor. 

Liberta-me é o segundo volume da trilogia de Tahereh Mafi e bela escrita da autora está de volta em um livro mais engraçado, porém com pitadas de mágoa e decepção, fazendo com que a tensão no livro aumente a cada página virada. No primeiro livro, o foco principal era sobreviver e fugir das atrocidades do Reabastecimento, já na continuação, estamos mais conectados aos sentimentos e dilemas da heroína. Juliette vai ter que aprender a conviver com as pessoas sem matá-las e sem se sentir culpada por ser quem é. Ela vai ter que sair da bolha que criou para si e ajudar, como os outros estão fazendo, e essa mudança não será fácil. Juliette se frusta com muita facilidade, ela não entende seu corpo e não entende as pessoas que à cercam e isso à deixa com muitas perguntas não respondidas. Conseguimos nos conectar com os personagens e entender seus sentimentos, ainda que os três protagonistas esteja mais indecisos e complicados do que nunca. 

Warner é a maior revelação desse livro. Eu simplesmente não consigo odiá-lo. É o tipo de vilão que você quer que se dê bem porque lá no fundo ele não é tão mau assim, ou simplesmente porque a paixão dele nos faz entender seu ponto e vista. Warner teve uma infância terrível, repleta de repressão e medo e ainda é influenciado pelo pai autoritário mesmo depois de adulto, porém conseguimos perceber pequenos momentos de lucidez onde ele tenta fazer coisa certa. Warner é extremamente contraditório e nem posso imaginar qual vai ser seu destino. Espero realmente que Tahereh consiga nos mostrar mais um pouco da personalidade e desejos de Warner. Mas na verdade o ponto que quero com mais ênfase falar é a química entre ele e Juliette. Meu Deus, o que foi aquilo? Eu não sei mais com quem ela deve ficar, definitivamente não sei. Não que as coisas com Adam não tenham esquentado, pelo contrário, esse livro foi recheado de momentos de tensão e pegação, porém consigo entender as dúvidas de Juliette e ficar em dúvida junto com ela.

É tão difícil ser gentil com o mundo quando tudo o que você já sentiu é ódio. Porque é tão difícil ver a bondade no mundo quando tudo o que você já conheceu é medo. (Warner)

Mais uma vez Tahereh nos mostra a complexidade das emoções humanas, assim como a força que seus personagens adquirem ao longo da história. Através de uma história envolvente ela passou a mensagem de que você as vezes vai ter que fazer escolhas e que essas podem machucar aqueles que você ama, mas que você também pode escolher não fazer essas escolhas, o poder da mudança ou da não mudança, está em suas mãos. Amor, amizade, indecisões, sacrifícios e lutas enchem as páginas de Liberta-me, prendendo o leitor do começo ao fim. Fiquei estarrecida com algumas revelações e irritada com outras, mas tudo contribuiu para que terminasse o livro louca para saber o que nos aguarda no final da trilogia.

Aqueles homens ali". Mate, eles dizem. Mate porque você confia em nós. Mate porque você está lutando no time certo. Mate porque eles são maus e nós somos bons. Mate porque estamos dizendo. Porque algumas pessoas são tão idiotas que pensam mesmo que há grossa linhas de neon separando o bem do mal. Que é fácil dizer esse tipo de distinção e dormir à noite de consciência tranquila. (...) O que eu quero mesmo dizer é quem diabos é você e quem é você para decidir quem deve morrer. ( Julliete)

Eu, que curto super poderes e essas coisas de super-heróis, adorei, sem contar que eu me apaixonei por Warner e Adan e nunca um triangulo amoroso me cativou como esse fez. Eu já disse em outras resenhas o quanto odeio triângulos amorosos, mas esse ainda vai dar muito pano para manga e eu estou adorando todas as complicações e sofrimentos amorosos... Que venha o último livro para matar minha curiosidade.


Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Eu quero muito ler esse livro, mas ainda nem li Estilhaça-me ainda. Sabe quando você quer ler o livro de uma série sendo que nem leu os anteriores? Vai entender!

    http://cheirinhodolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Gostou do post? Então comente e me faça feliz...
Encontrou algum erro de ortografia ou qualquer outra pérola? Mande-nos um e-mail avisando!
Obrigada pela visita!! Volte SEMPRE!!!!!
Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...