-

Resenha - Divergente - Verônica Roth

Lido em: Março de 2013
Título: Divergente #01
Autor: Verônica Roth
Editora: Rocco
Gênero: Distopia, Ficção, Romance
Páginas: 502
Ano: 2012
Comprar: Saraiva
Nota:
Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.
Antes de ler o livro eu ouvi falar muito dele, e sempre resenhas e comentários positivos. Estava muito curiosa para saber se o livro era tudo isso e posso dizer que gostei do que li. Uma distopia  onde a política é baseada basicamente na personalidade das pessoas, pois a sociedade é dividida de acordo com as "qualidades" de cada um. Divergente mostra uma civilização que tenta viver em harmonia mas que ao mesmo tempo não aceita uns aos outros. As facções se respeitam por "obrigação" já que cada uma defende a "qualidade" que acha necessária para a sobrevivência do mundo. Cada jovem faz testes de aptidão e a partir desses testes escolhe a qual facção deseja pertencer. Essa escolha muda a vida das deles para sempre, pois a partir dela, muitas vezes perdem o contato com seus familiares e amigos se decidirem deixar a facção de origem.
“Dividiram-se em quatro facções que procuravam erradicar essas qualidades que acreditavam ser responsáveis pela desordem no mundo.[...]
-Os que culpavam a agressividade formaram a Amizade.[...]
-Os que culpavam a ignorância se tornaram a Erudição.[...]
-Os que culpavam a duplicidade fundaram a Franqueza.[...]
-Os que culpavam o egoísmo geraram a Abnegação.[...]
-E os que culpavam a covardia se juntaram à Audácia.”pág. 48
Perdida nesse turbilhão de opções está nossa protagonista, Beatrice, ou como ela se autonomeou - Tris. Ela é um desses personagens que começam o livro com muitas dúvidas, medos e fraquezas e depois vai ganhando coragem e aptidão.  Ela será obrigada a enfrentar seus piores medos, já que escolheu a Audácia. Lá eles irão testá-la física, emocional e mentalmente. Terá que disputar a tapas um lugar ao sol. Gostei bastante do estilo feroz com que cada um defende a si mesmo, pois Tris não será a melhor de todos - ponto positivo para a autora, pois não gosto desse favoritismo exagerado. Todos os "companheiros" dela tem pontos fortes e fracos e com isso todos os personagens secundários acabam tendo bastante relevância na história.

O que eu achei que podia ter sido melhor foi o romance de Tris com Quatro - no final vamos entender porque ele escolheu esse nome. Quando eles se conhecem, o garoto é extremamente irritante, com ar de superioridade e de maldade. Mas ai do nada ele começa a ajudar Tris. Hã? Você não era o tal, o malvadão? Como agora está todo derretido por ela?  Essa parte foi um pouco forçada para meu gosto. Mas enfim, eles não formam o melhor casal do mundo, mas também não são ruins juntos. Só os fatores dessa junção é que não fazem muito sentido.

Depois de tudo, vamos descobrir que nada é o que parece e que todo o treinamento intenso e maldades ao qual foram submetidos os novatos da Audácia, eram por um motivo muito desumano, mesquinho e de total interesse político. Há varias reviravoltas no livro e bastante ação. Descobrimos também que Tris é diferente dos de mais e que essa diferença pode causar sua morte. Cenas de luta, coragem e muitas revelações surpreendentes enchem as páginas de Divergente. Estou bem curiosa sobre onde as decisões de Tris irão levá-la.


A capa do do 2° volume da trilogia - Insurgente - foi divulgada e há boatos de que o lançamento seja ainda em abril


"Como um animal selvagem, a verdade é poderosa demais para permanecer enjaulada."



Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. adoreei !! *O*

    princessofjeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Ótima resenha,
    Também adorei o livro, e concordo que o romance poderia ter sido melhor.

    Mal vejo a hora de chegar a continuação *-*

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Estou lendo!!!!!!!!!! Minha historia favorita, amo demais <3
    Sou da Erudição, a Tris é bem foda <3 amando!

    ResponderExcluir
  4. Amei essa história, personagens muito bem construídos, dinâmicos. Perfeitos!

    ResponderExcluir
  5. Não tive a oportunidade de ler ainda, mas tenho muita vontade viu, pena que os preços da Rocco não são camaradas >.<

    ResponderExcluir

Gostou do post? Então comente e me faça feliz...
Encontrou algum erro de ortografia ou qualquer outra pérola? Mande-nos um e-mail avisando!
Obrigada pela visita!! Volte SEMPRE!!!!!
Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...