-

Resenha - A Estrela - Javi Araguz e Isabel Hierro


Lido em: Agosto de 2013
Título: A Estrela
Autor: Javi Araguz e Isabel Hierro
Editora: Rai
Gênero: Romance, Distopia
Páginas: 240
Ano: 2012
Comprar: Saraiva
Nota:
Após uma catástrofe ter transformado o Linde em um ambiente hostil e instável, todos os habitantes do mundo precisam aprender a viver em clãs isolados, dentro dos Limites Seguros. As rupturas fazem com que o mundo mude de forma repentinamente e os que não estão preparados podem perder-se para sempre. Durante uma violenta ruptura, Lan, uma garota que vive no clã de Sálvia, não resiste e acorda sozinha e sem mantimentos no meio do deserto. Logo a garota é resgatada, porém, por seu pior inimigo. Destemida e determinada a encontrar sua família, Lan percebe que a única forma de reencontrá-la e talvez encontrar uma cura para o Linde depende unicamente da aliança com um povo nada confiável.
A Estrela não é um desses livros que ficam marcados na mente da gente, que ficamos remoendo os acontecidos depois de ler e esperando ansiosamente a continuação, pelo menos eu não fiquei assim, não posso dizer que não gostei, pois gostei bastante, mas sabe quando você lê e fica faltando algo? Não sei, parece que as explicações não são suficientes e apesar de sabermos que é ficção algumas coisas simplesmente acontecem sem precedentes e outras são resolvidas muito fáceis até mesmo para nossa imaginação processar e aceitar.

O tema sobrevivência e readaptação é que está em foco, pois a história se passa em um mundo pós apocalíptico - estou realmente na fase das distopias, kkk - que foi destruído pelo ser humano e os poucos sobreviventes tendem a formar vilas e vivem em constante alerta para novas alterações. O que eu achei um tanto inaceitável foi o fato das "cidades" estabelecerem limites seguros ao seu entorno, aos quais o meio ambiente respeitava e não invadia, pois quando a Quietude - período em que não haviam essas mudanças - era quebrada, cidades, pessoas e animais desapareciam em segundos. Hãããã? Achei meio nada a ver mesmo!! Como a natureza pode ser impedida ou controlada?  Estranho, realmente estranho!!

Nós vamos acompanhar a história de uma garota que perdeu tudo, casa,  família, amigos, pois em uma dessas quebras de "Quietude" a cidade que Lan mora - Sálvia - é destruída e ele se vê perdida em um deserto sem ninguém. Ela será salva pelos Errantes - o único povo que consegue caminhar pelo mundo devastado - o Linde - sem se perder. Eles são um grupo de pessoas sem nome, chamados de meninos e meninas, homens e mulheres, nada mais. Que horrível, imagina não ter um nome? Além disso, são intocáveis, carregam uma maldição que não os permite tocar em ninguém que não seja do seu clã, pois eles são pessoas afetadas pelas Partículas que destruíram o mundo, e isso faz com que seu toque seja mortal para qualquer ser vivo. No decorrer da trama Lan descobrirá que eles escondem muitos segredos, segredos esses que podem realmente mudar tudo e o pior é que eles não estão dispostos a compartilhá-los.

O que eu gostei no  foi, pois sou eternamente apaixonada por romances, o amor proibido entre Lan e o Sequestrador - é assim que ela chama o menino que a salvou no deserto, já que os Errantes não tem nome -  pois eles não podem se tocar, o que vai dar um toque especial na relação e ainda deixar muito espaço para usarmos a imaginação e nos perguntarmos e se?  Eles vão se odiar no começo, porque Lan tem certeza que o menino não é flor que se cheire, mas com o tempo vamos ver a raiva se tornar em amizade e a amizade em amor. Um amor genuíno e capaz de tudo. Juntos eles tentarão encontrar uma cura para o Planeta, irão enfrentar muitos desafios e em alguns momentos contarão apenas um com o outro, mas sem perder a esperança nunca.

A esperança é acreditar além do que podemos controlar. É um sentimento como alegria, o medo ou o ódio, ao qual você pode se apegar principalmente nos momentos mais difíceis, quando sabe que não consegue fazer nada sozinho. Inclusive quando tudo está perdido, sempre resta esperança.

Enfim, o livro não arranca grandes suspiros, mas trás uma leitura leve, os personagens vão evoluindo no decorrer da história, o tema é - apesar de ser um pouco clichê  mundo destruído pelo ser humano que não soube respeitar a natureza e blábláblá - é bastante convidativo, bem dinâmico e com bastante ação, porém ainda mantenho o que eu disse no começo da resenha, faltou alguma coisa pra me prender. Talvez o fato de eu ter lido muitas distopias recentemente possa ter feito meu cérebro não aceitar muito bem essa, kkk, mais ainda assim é um bom livro para se ler.

Por hoje é só, espero que tenham gostado!
Beijos, beijos!!

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Nem conhecia este livro, mas se tiver a oportunidade de lê-lo, irei.
    Boa resenha!
    Beijos
    http://16livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. O livro é bacana sim, vale a pena dar uma conferida! bjjjos

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Gosto de distopias, porque diferem de outros livros que costumamos ler.
    Esse me parece muito legal mesmo! Com certeza, se puder, lerei u_u
    Bjss

    ResponderExcluir
  4. Distopia não é muito meu forte, eu achei interessante o tema, mas não sei se leria. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  5. A capa é linda, amo distopias! Quero muito ver!

    ResponderExcluir
  6. Adoro esse tipo de tema, muito possível que comprarei

    ResponderExcluir

Gostou do post? Então comente e me faça feliz...
Encontrou algum erro de ortografia ou qualquer outra pérola? Mande-nos um e-mail avisando!
Obrigada pela visita!! Volte SEMPRE!!!!!
Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...